Os 10 países mais desenvolvidos do mundo

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é uma estatística composta usada para classificar os países de acordo com seus níveis de desenvolvimento – que variam de “muito elevado” para “baixo”.
Os países são analisados com base na expectativa de vida, educação, padrão de vida, bem-estar infantil, saúde, bem-estar econômico e felicidade da população. Os críticos têm citado o IDH como impreciso ou vago, mas é uma medida muito usada para falar das condições de vida dos países globo afora. Confira os 10 primeiros:
10 – Suécia. Pontuação: 0,904
 O país socialista e liberal europeu, o Reino da Suécia, é liderado pelo primeiro-ministro Fredrick Reinfeldt e tem mais ou menos o tamanho do estado da Califórnia ou da Espanha.
Com uma população aproximada de 9,3 milhões, a capital e maior cidade do país é Estocolmo. Os suecos são classificados como um dos mais felizes do mundo e tem pontuações altas de renda (R$ 61.490 PIB per capita, e um PIB regular de R$ 831 bi), expectativa de vida (80,9 anos) e educação.
Além disso, o país tem taxa de desemprego e de pobreza muito baixas, acesso livre e equitativo a cuidados de saúde, e tem sido um dos defensores mais ativos da sustentabilidade ambiental. A Suécia também serve como um importante destino turístico para milhões de viajantes internacionais.
9 – Alemanha. Pontuação: 0,905
A República Federal da Alemanha, ou Alemanha, tem a maior economia da União Europeia (UE), e uma das maiores populações com 82,2 milhões de habitantes.
Sua capital é o movimentado centro econômico de Berlim. A chanceler Angela Merkel é a cabeça do governo com um povo de padrões de educação muito altos, com uma taxa de quase 100% de presença escolar.
A Alemanha cresce na indústria e na produção e é uma grande exportadora de produtos elétricos e de engenharia, tais como automóveis. O PIB é de R$ 6 tri e o PIB per capita é de R$ 69.640. As taxas de pobreza são baixas, embora a taxa de desemprego seja de cerca de 7%.
A Alemanha também é um destino turístico de excelência por sua beleza histórica – às vezes não tão bonita se considerarmos o nazismo – e tem uma expectativa de vida de 79,4 anos.
8 – Liechtenstein. Pontuação: 0,905
O Principado de Liechtenstein é um dos menores e menos povoados países do mundo, com uma massa de terra de apenas 160 quilômetros quadrados e uma população de 35.000.
Mesmo assim, essa democracia parlamentar consegue ter um dos maiores PIB per capita do mundo (R$ 241.000) e tem uma dívida de praticamente zero, nenhuma pobreza, e zero taxa de desemprego, além de terem importantes classificações literárias e de educação.
Liechtenstein tem impostos muito baixos e é um centro de investimento de países e pessoas ricas. Se visitar este país muito interessante, vá a capital de Vaduz, onde você pode ver o enorme castelo Vaduz, a casa do príncipe e sua família, além de se familiarizar com a cidade de 5.100 habitantes.
7 – Irlanda. Pontuação: 0,908
A República da Irlanda tem uma população relativamente pequena de 4,5 milhões, é uma democracia parlamentar, e sua capital é Dublin. Irlanda tem uma taxa de literacia muito elevada de 99% e padrões altos de educação, bem como uma expectativa de vida de 78,9 anos.
Também tem uma infraestrutura bem equilibrada, com um PIB de R$ 349,46 bi e um PIB per capita de R$ 77.980. O país é o 7º em liberdade de imprensa, liberdade econômica e liberdade política que oferece ao público.
A Irlanda estava em processo de rápido crescimento econômico e desenvolvimento quando a recessão global começou em 2008. Acumulou uma enorme dívida, sendo classificada como um dos cinco países europeus “PIIGS” (Portugal, Irlanda, Itália, Grécia e Espanha) e perdeu dois pontos na escala de Índice de Desenvolvimento Humano. Ainda assim, o Taoiseach (ou primeiro-ministro) Enda Kenney está colaborando com os líderes da UE (França e Alemanha) para aliviar este problema e continuar a desenvolver o país.
6 – Canadá. Pontuação: 0,908
O Canadá é, geograficamente, o segundo maior país ao lado da Rússia e compartilha a maior fronteira internacional do mundo com os Estados Unidos. O Canadá é regido por uma democracia parlamentar e uma monarquia constitucional e mantém laços com o Reino Unido, sendo um dos poucos países com dois hinos (“O Canadá”, o hino nacional, e “God Save the Queen”, o hino real) com a Rainha Elizabeth II sendo a chefe de Estado.
O país é muito economicamente avançado, com um PIB de quase R$ 3 tri e PIB per capita de R$ 87.664. Tem uma população inteligente, com boa educação e alfabetização, e uma grande porcentagem da população é bilíngue (inglês e francês são as línguas oficiais).
O Canadá é conhecido por seu sistema gratuito de saúde (em cima de uma expectativa de vida de 80,7 anos) e coloca impostos mínimos sobre os 34,7 milhões de habitantes. E, claro, é um grande destino turístico, com a cachoeira de renome mundial Niagara Falls, a capital Ottawa, e os marcos históricos da cidade em grande parte francesa Quebec.
5 – Nova Zelândia. Pontuação: 0,908
A Nova Zelândia é um grupo pequeno e relativamente distante de ilhas e foi uma das últimas ilhas a serem descobertas por seres humanos. Assim, contém uma bela paisagem, vida animal florescente e biodiversidade que atrai bandos de turistas anualmente.
A Nova Zelândia é uma monarquia parlamentar constitucional que reconhece também a rainha Elizabeth II como chefe de Estado e em seu hino nacional, enquanto John Key é o Primeiro-Ministro.
A Nova Zelândia tem um dos mais altos padrões de vida e avaliações de felicidade do mundo, e tende a ser uma forte defensora da paz e da sustentabilidade ambiental, proibindo armas nucleares e protegendo a sua fauna diversificada. O PIB do país é de R$ 270.597 bi, com um PIB per capita de R$ 60.630 para a sua população de cerca de 4,3 milhões. Sua educação, alfabetização e padrões de saúde são todos muito altos com expectativa de vida de 80,2 anos.
4 – Estados Unidos da América. Pontuação: 0,910
Os Estados Unidos percorreram um longo caminho desde os seus primórdios em 1776, vencendo os britânicos na
Revolução Americana (com muita ajuda dos franceses) e declarando a sua independência. Agora, após a remoção dos nativos americanos, uma guerra civil, a Grande Depressão, e participação em duas guerras mundiais, os EUA emergiram como o país mais poderoso do mundo, com um PIB de R$ 25 tri (o maior do mundo) e um PIB per capita de R$ 85.522.
Os EUA são uma democracia representativa (república), um gigante de fabricação e um grande importador e exportador de bens e parceiro comercial com todos os principais países. Os EUA são um dos países mais etnicamente diversos do mundo (só o estado da Califórnia tem uma população 50% asiática, latina e afrodescendente, das quase 40 milhões de pessoas).
No entanto, deixando tudo isso de lado, os EUA perdem pontos, pois, de uma população de quase 315 milhões, há uma taxa de pobreza de 15%, média de desemprego de 9% (e em alguns estados até 14%), além de padrões internacionais de ensino mais baixos que no resto do mundo.
Os EUA também perdem pontos na área da saúde, porque, enquanto a expectativa de vida é relativamente alta – 79 anos -, as taxas de obesidade dispararam, com até 33% dos adultos obesos e níveis e índices semelhantes nas crianças. No topo de tudo isso, a América está em uma espiral de dívida maciça, e arrastando outros países para baixo através da diminuição do comércio causado pela recessão global.
3 – Holanda. Pontuação: 0,910
Também conhecida como Países Baixos ou Holanda, o país é uma monarquia constitucional, além de ser uma democracia representativa. A Holanda tem padrões muito altos de educação e alfabetização, além de baixa pobreza e taxas de desemprego, e é chefiada pelo primeiro-ministro Mark Rutte.
Ao longo de sua história, a Holanda foi uma das fundadoras fundamentais de organizações como a União Europeia e a OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e é chamada de “capital do mundo jurídico”, hospedando cinco sistemas judiciais internacionais.
O PIB do país é de mais de R$ 1,4 tri, com um PIB per capita de R$ 85.613. Em maio de 2011, 16,7 milhões de habitantes da Holanda foram classificados como os mais felizes do mundo, com uma economia estável, governo honesto, impostos baixos, belas cidades como a capital Amsterdam, e uma expectativa de vida de 79,8 anos.
2 – Austrália. Pontuação: 0,929
A ilha/continente da Austrália tem a 13ª maior economia do mundo, com um PIB de R$ 1,5 tri, e o 5º maior PIB per capita de R$ 69.991. A Austrália é uma monarquia parlamentar constitucional federal, com alguns dos mais altos rankings do mundo nas categorias de qualidade de vida (as pessoas são muito felizes), saúde, educação (taxa de alfabetização de cerca de 100% e percentagens muito elevadas de diplomados), liberdade econômica e, finalmente, liberdade civil e proteção dos direitos humanos.
Os 22,7 milhões de habitantes desfrutam de um país lutando por um governo estável, cidadãos de conteúdo, paz, sustentabilidade e proteção da vida selvagem e da biodiversidade (que a Austrália tem de monte), com uma expectativa de vida de 81,2 anos. Claro, a Austrália é um lugar fantástico para se visitar e conhecer a fauna rústica e as belas cidades como Sydney.
1 – Noruega. Pontuação: 0,943
O Reino da Noruega, com quase 5 milhões de habitantes, é uma monarquia parlamentar constitucional com normas de educação extremamente altas e uma pobreza muito baixa e taxa de desemprego quase inexistente, com uma expectativa de vida de 80,2 anos.
A Noruega foi um membro fundador da OTAN, mas rejeitou a adesão à UE, apesar de continuar a ter boas relações com os países vizinhos europeus. A Noruega é também membro fundador e agora doador das Nações Unidas.
A Noruega tem uma das maiores reservas de petróleo, gás natural, minerais, frutos do mar, madeira, água doce e energia hidrelétrica do mundo, e é uma grande exportadora de petróleo. O país também é reconhecido internacionalmente por sua saúde universal, sistemas de ensino avançados, e sistema de segurança social distinto. Por todas estas razões, o Reino da Noruega ocupa o número um no índice das Nações Unidas para o Desenvolvimento Humano.
Bônus: Brasil. Pontuação: 0,718
No Índice de Desenvolvimento Humano de 2011, o Brasil ficou na 84ª posição, de 187 países avaliados. O IDH do Brasil em 2011 é de 0,718. A metodologia para calcular o índice acabou de mudar. No ano passado, o Brasil aparecia classificado como o 73º melhor IDH de 169 países, mas com a tecnologia aplicada esse ano, o país estaria em 85º, o que significa que ganhou uma posição em relação ao ano anterior.
Nosso PIB per capta é de R$ 17.417, e a expectativa de vida é de 73,5 anos. O Brasil aparece entre os países considerados de “Desenvolvimento Humano Elevado”, a segunda melhor categoria do ranking, que tem 47 países com “Desenvolvimento Humano Muito Elevado” (IDH acima de 0,793), além de 47 em “Desenvolvimento Humano Médio” (entre 0,522 e 0,698) e 46 em “Desenvolvimento Humano Baixo” (abaixo de 0,510).
Fonte: revoada.net (Natasha Romanzoti)

2leep.com

0 comentários: