Homem assalta ônibus e morre de infarto ao ser perseguido por PMs

Os suspeitos tentaram fugir a pé. Um deles, ainda não identificado, caiu e ficou desmaiado no chão.
Foto: Literatura Rio de Janeiro

Um homem que havia acabado de assaltar um ônibus na Rua Cosme Velho, no bairro de mesmo nome na Zona Sul do Rio, sofreu um infarto e morreu ao ser perseguido por policiais militares do 2º BPM (Botafogo), na madrugada desta quarta-feira. O cúmplice dele foi preso. Segundo informações do batalhão, a dupla havia acabado de assaltar um ônibus da linha 584 (Cosme Velho - Leblon). O motorista do coletivo fez sinal para uma viatura que passava ao seu lado. Os policiais deram a ordem para o ônibus parar.

Os suspeitos tentaram fugir a pé. Um deles, ainda não identificado, caiu e ficou desmaiado no chão. Os policiais, a princípio, acharam que ele havia se ferido ao bater a cabeça no meio-fio. Os bombeiros foram chamados e constaram a morte do homem - segundo os policiais, o médico da equipe constatou que o desconhecido sofreu um infarto agudo do miocárdio. O corpo foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML).

Já José Carlos Fernandes de Moraes, de 18 anos, foi preso e levado para a 10ª DP (Botafogo). Pertences roubados de passageiros foram recuperados. Com informações do Extra Notícias.
 

Fonte: Bocão News
Mais informações...

Bonner rebate críticas a postura em entrevista com Dilma e ironiza ‘insatisfeitos’

O jornalista ironizou aqueles que chamou de “robôs partidários” e defendeu que ser incisivo nas entrevistas é o oposto de propaganda.
O jornalista William Bonner entrevistou na última segunda-feira (18) a presidente Dilma Rousseff mas, até esta quarta (20), ainda rebate as críticas e recebe elogios por sua postura durante as perguntas. Para alguns usuários do Twitter, o âncora do Jornal Nacional estava nervoso e desrespeitou a petista. “A única coisa que faltou na entrevista do JN c/ Dilma, foi o @realbonner desafiar a @dilmabr para aquele tal balde de gelo na cabeça”, disse um dos usuários. “É a primeira entrevista que o entrevistador, @realbonner , fica mais nervoso que a entrevistada, @dilmabr”, avaliou outro. Em resposta, o jornalista ironizou aqueles que chamou de “robôs partidários” e defendeu que ser incisivo nas entrevistas é o oposto de propaganda. “Robôs partidários de todos os matizes insatisfeitos! Corruptos insatisfeitos! Blogueiros sujos insatisfeitos! Muito bom! Obrigado mesmo!”, postou no microblog. Ele chegou a postar uma lista com as questões que algumas pessoas “esperariam” que ele fizesse.
  1. Fotos: Reprodução / Twitter
Assim como Bonner, outros usuários não perderam o bom humor e decidiram entrar na “zueira”. Alguns complementaram a lista com tweets como “faltou um signo e uma frase pra terminar...” ou "Pedra, Papel ou Tesoura?". Outros ainda foram além. “A única coisa que faltou na entrevista do JN c/ Dilma, foi o @realbonner desafiar a @dilmabr para aquele tal balde de gelo na cabeça”, disse o perfil @francaverdade, em referência ao desafio que tem atraído várias celebridades em todo o mundo.
Fonte: vozdabahia.com.br
Mais informações...

Bolsa Família, o maior colégio eleitoral do Brasil

São 14,2 milhões de famílias contempladas pelo programa. Mas estudiosos do programa, estimam que pelo menos 40 milhões de eleitores sejam afetados pelo programa.
 “Quem de vocês aqui gosta do Bolsa Família levanta a mão?”, brada ao microfone, do alto de um palanque improvisado, o senador Lobão Filho, candidato do PMDB ao governo do Maranhão, na cidade de Barra do Corda (85.000 habitantes). A plateia reagiu imediatamente com os braços estendidos. O candidato continuou: “Isso me preocupa, porque os nossos adversários estão unidos a Aécio Neves, que já disse em todos os jornais e todas as emissoras de TV que é contra o Bolsa Família".

Filho do ministro Edison Lobão (Minas e Energia), que orbita o petismo como representante de José Sarney há anos, o candidato peemedebista convive com Aécio Neves no Senado. Os dois são colegas. O peemedebista sabe que o tucano nunca se opôs ao programa – pelo contrário, é de Aécio a proposta para transformar o programa em política permanente de Estado. Mas, nos grotões do Brasil, Lobão Filho utiliza um discurso convenientemente falso. Mesmo um candidato ligado à oligarquia recorre ao discurso de que os seus concorrentes são inimigos do povo por causa de uma oposição fictícia ao programa.


Nas últimas semanas, os candidatos a presidente (especialmente Dilma Rousseff) intensificaram as viagens a São Paulo para tentar conquistar a simpatia do eleitor paulista. A razão é óbvia: o Estado tem 32 milhões de votos, o maior número de eleitores entre as unidades da federação. Mas, na disputa deste ano, também está em jogo um "colégio eleitoral" muito mais poderoso – e leal: o dos beneficiados pelo Bolsa Família. São 14,2 milhões de famílias contempladas pelo programa. Mas estudiosos do programa, como o economista José Matias-Pereira, especialista em gestão pública e professor da Universidade de Brasília, estima que pelo menos 40 milhões de eleitores sejam afetadas pelo programa.

A conta inclui não só os mais de 25 milhões de eleitores que recebem recursos do programa. "Existe, por exemplo, a pessoa que pensa: se minha filha perder o Bolsa Família com os cinco filhos que ela tem, ela vai voltar para dentro da minha casa", diz o professor. Ele também cita comerciantes que vendem fiado para os beneficiários do programa em localidades pobres :"Há uma espécie de medo nessas comunidades. Independentemente de a pessoa receber o Bolsa Família, ela acompanha a decisão da maioria porque sabe que, se aquilo mudar,também ameaça os interesses dela". E, claro, essa arma é utilizada à exaustão por políticos Brasil afora, especialmente longe dos holofotes.


Neste ano, a Bahia foi a que mais recebeu repasses do governo federal no programa Bolsa Família: 1,36 bilhão de reais, segundo o Portal da Transparência do governo federal. As maiores cidades do estado são as principais beneficiárias: Salvador, com 113,8 milhões de reais neste ano, Feira de Santana, com 29,2 milhões de reais, e Vitória da Conquista, com 21,9 milhões de reais. 
 
Há mais beneficiários do programa na Bahia do que em São Paulo, cuja população é três vezes vezes maior. Mais em Pernambuco do que em Minas Gerias. Mais no Maranhão do que no Rio de Janeiro. Isso ajuda a explicar por que o Nordeste se transformou em uma quase intransponível fortaleza eleitoral do petismo. Em 2014, até agora, o governo destinou 10,5 bilhões de reais ao programa. 
Jailza Barbosa, 33, desempregada, moradora do bairro Cajazeiras, em Salvador, tem dois filhos, de 10 e 15 anos, e recebe 134 reais por mês. “O candidato em que eu vou votar é o do partido que me ajuda por causa do Bolsa Família. Não sei o nome dele, mas já estava com isso na cabeça. O programa é muito bom porque me ajuda e é a única renda que eu tenho hoje”, diz.


O número de beneficiários só tem aumentado: em 2004, eram 6,6 milhões de famílias atendidas. A elevação desde então foi de 215%, muito acima do crescimento vegetativo na população – e se deu num período em que, segundo o governo, dezenas de milhões de pessoas deixaram a pobreza. Os números ajudam a entender o que é fácil de constatar in loco.
Na cidade Central do Maranhão, onde Dilma teve 96% dos votos em 2010, é difícil encontrar alguém que saiba quais são os adversários da presidente Dilma Rousseff. E a razão principal para o apoio incondicional à petista, seja qual for o oponente, é apresentada pelos próprios eleitores. Como o lavrador Carlos Azevedo: “Para mim, a candidata é a Dilma. A gente tem medo de tirarem o Bolsa Família”, diz ele, ao lado da mulher, a dona-de-casa Marinete Viana. Ela diz ter visto na televisão a informação de que os adversários da presidente colocariam fim ao programa.
"Não me interessa saber quem são os outros candidatos", declara Claudilene Melo, que trabalha como doméstica mas também recebe o Bolsa Família.


O cenário eleitoral deve acentuar a importância do Bolsa Família para a candidatura de Dilma Rousseff. A trágica morte do candidato Eduardo Campos e a possível entrada de Marina Silva na disputa devem acentuar, por um lado, a vantagem de Dilma no Nordeste (onde Campos era mais popular) e, por outro lado, tirar votos da petista nas grandes cidades (onde Marina tem um eleitorado mais forte). Como consequência, a tendência é que o PT se encastele ainda mais no Nordeste, onde estão 52% dos beneficiados pelo Bolsa Família (a região tem apenas 27,7% da população brasileira).
"O governo vai se fiar nesses programas de transferência de renda, porque a gerência macroeconômica é débil, a inflação é crescente, o crescimento econômico tem sido pífio", diz o professor Carlos Pereira, da Fundação Getúlio Vargas.


O efeito do Bolsa Família nas eleições de 2006 e 2010 foi objeto da análise de pesquisadores do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília (UnB). Conclusão: havia uma forte correlação entre o voto no PT e a participação no programa do governo.
Independentemente da postura dos adversários de Dilma Rousseff, a maior parte dos eleitores que recebem o Bolsa Família não arrisca apoiar aquilo que veem como uma aposta duvidosa. Para o jogo democrático, o efeito é desastroso. Se o único critério na escolha do candidato é o Bolsa Família, o eleitor vota sem levar em conta outros temas essenciais, como as políticas para saúde, segurança e o combate à corrupção. “É como se nós tivéssemos voltando para o século XIX, com os currais eleitorais fechados”, diz o professor José Matias-Pereira.


Como o número de beneficiários do Bolsa Família cresce continuamente, é cada vez maior o contingente de eleitores que escolhe seu candidato presidencial apenas com base no receio de perder o pagamento mensal. “O coronel local está sendo substituído pelo coronel federal. Mas o padrão é o mesmo: o modelo patrimonialista onde indivíduo usa os bens do estado para se beneficiar politica ou em benefício próprio”, afirma o professor da UnB.
Fonte: Revista Veja
Mais informações...

Vídeo registra primeiras imagens do acidente que matou Eduardo Campos

Vídeo foi gravado por câmera de prédio a 500 metros do local do acidente. Nas imagens, é possível ver os últimos segundos da aeronave em queda.
Surgiu a primeira imagem da queda do avião que levava o candidato a presidente Eduardo Campos e mais seis pessoas. O vídeo foi feito por uma câmera de monitoramento de um stand de vendas de um prédio em construção localizado a aproximadamente 500 metros do local do acidente.
É possível ver os últimos segundos da aeronave em queda. Após a queda, vê-se uma explosão e aparece uma enorme coluna de fumaça. Na parte de cima do vídeo aparece a data do acidente, 13 de agosto, mas o horário está errado. O acidente ocorreu pouco depois das 10 horas da manhã.
Por isso, essas imagens não tinham sido localizadas até agora. O Cessna Citation levava o candidato a presidente Eduardo Campos, quatro assessores e dois pilotos. Todos morreram no acidente.

Assista ao vídeo:
Fonte: g1.globo.com
Mais informações...

Jeremoabo: Reivindicação de profissionais da Saúde por melhores salários domina a sessão da Câmara

 A sessão da Câmara Municipal desta terça (19.08) foi marcada pela presença de alguns funcionários da Saúde Municipal, conduzidos pelo Sindicato de professor e Servidores Municipais (SINPROJER), que foram solicitar auxílio aos vereadores para implantação de Plano de Cargos e Salários do setor. Ludmila Sharlene, Técnica em enfermagem, representando os profissionais do setor e Rita Andrade, pelo Sindicato, utilizaram a tribuna livre  e fizeram uma exposição e motivos que justificavam o pedido, já que, segundo informaram, desde 2004 não há revisão na remuneração salarial no que resultou em salários defasados. Claro, que receberam o apoio dos vereadores que se comprometeram a lutar, dentro do possível, para buscar uma solução.
A sessão contou com 25 participantes e a visita do vereador Bebeto de Ribeira do Pombal (BA).

Na pauta constam os seguintes Projetos de Lei:
PL 10/2014 parceria técnica e financeira SEBRAE
PL 11/2014 altera a lei 399 de 02.22 2010 micro empresa
PL 12/2014 autorização de imóvel uso gratuito
PL 13/2014 doação a União das Mulheres do Monte Alegre

Na tribuna, os vereadores revezaram-se nas falas que resumimos a seguir:

NETO: apoiou a luta e reinvindicações.

JAIRO: também manifestou seu apoio e questionou porque se contrata tanto ao invés de valorizar o funcionário efetivo e denunciou que muitos contratos ainda estão sendo efetuados.

ANTONIO CHAVES: comentou que conquista só se consegue com luta e parabenizou o grupo que buscava suas reinvindicações.

MANU filosofou dizendo que o poder emana do povo e porisso achava muito importante a vinda das pessoas para mostrarem sua luta. Entretanto, comentou que já no primeiro quadrimestre o índice de pessoal ficou próximo de 54 por cento, limite máximo permitido. Comentou ainda sobre a disparidade na remuneração das pessoas que exercem comissões e os efetivos sugerindo a nomeação de pessoas do quadro efetivo para os cargos comissionados.

TIAO: apoiando a luta disse que a união faz a forca.

BENEDITO: condenou os baixos salários achando não ser justo.

DOMINGOS: enalteceu o trabalho das técnicas de enfermagem e profissionais da saúde e disse ter certeza que a Prefeita, dentro dos seus limites, iria se sensibilizar. Sugeriu a elaboração de proposta de PCS para discussão.

ANA JOSEFINA após passar a presidência para DOMINGOS, explicou que existem muitos programas e porisso muitas contratacoes. Demonstrou ser a favor mas pediu para todos terem os pés no chão, também sugerindo elaboração de proposta para negociação.
Rita Andrade ainda voltou novamente a tribuna para solicitar luta da Câmara, dizendo que não eram contra os contratado mas buscavam a valorização do concursado e comentou também que está negociando o terço de férias que muitos servidores não estão recebendo.

NOTA FINAL: salário de servidores concursados é uma bomba chiando. Mais cedo ou mais tarde vai explodir no colo de alguém. Portanto, negociar e buscar solução é o caminho natural!

Fonte www.jeremoabo.com.br
Mais informações...